terça-feira, 11 de julho de 2017

Hospital Universitário Evangélico de Curitiba - Bigorrilho



Hospital Universitário Evangélico de Curitiba
Alameda Augusto Stellfeld, 1908 - Bigorrilho, Curitiba 


Praça Alfredo Andersen, bem em frente ao hospital.


Estava fotografando o hospital quando fui abordado por um cidadão. Perguntou-me, muito cortesmente, qual a finalidade das fotos. Aliás, a primeira pergunta que ele fez foi se eu queria comprar o hospital. Em tom de brincadeira, é claro. Disse-lhe que não, ainda mais depois do escândalo ocorrido em suas dependências. O cidadão, funcionário do hospital, disse que após esse episódio da médica acusada de ter provocado a morte de diversas pessoas, houve intervenção judicial. Caiu o número de leitos disponíveis bem como o número de funcionários e a receita.

Disse que fotografava para um blog e ele deu-me uma dica preciosa. Dentro do hospital, na entrada principal havia um exposição de fotos que contava a história do Evangélico.

Como não permitem a entrada de qualquer pessoa, muito menos de alguém que queira fotografar suas dependências, houve alguma burocracia até que eu fosse autorizado, escoltado, é claro, por um segurança.

Por que será que hospitais têm tanto medo de serem fotografados? Fora essa exposição fotográfica, nunca achei nada interessante para fotografar nos diversos hospitais que conheci. São corredores e mais corredores de pessoas amontoadas, torcendo para que sua senha seja chamada, o que pode não ser assim tão rápido.

Não sei porque ainda está sob intervenção. A médica não foi a julgamento e ainda por cima ganhou a ação de indenização milionária que moveu contra o hospital. Foi absolvida pelos seus colegas do Conselho Regional de Medicina. Triplo triunfo. Deduz-se que não houve crime ou irregularidade.Vida que segue. (Não para todos).

Esses fatos abalaram as finanças do hospital. Mas até onde eu sei, entidades religiosas não pagam Imposto de Renda, além da isenção de outros tributos. São imunes. Como se o IR fosse um vírus. A bancada evangélica age como anticorpos. Devem se recuperar em menos tempo do que um cidadão comum, guardadas as proporções.



Dei uma volta completa no hospital (no sentido horário) e acho que as fotos mostram isso. Comecei por uma entrada lateral do hospital, defronte à Praça Alfredo Andersen.












1940
Curitiba dispunha de apenas um hospital para tratamento de saúde especializado. O médico Parísio Cidade, na época também pastor da Igreja Presbiteriana, teve a ideia de construir um hospital para atender a população do Paraná e Santa Catarina. E pastores de diversas denominações foram contagiados pela ideia.



1943
Pr. Daniel Lander Betts, Sr. Ireno Dionísio Reichelt, Dr. Atílio Bório, Pr. James D. Cook, Pr. Ben Oliver, Pr. João Emílio Henck, Rev. Parísio Cidade, Rev. Alcides Nogueira e Pb. Augusto Klopfleisch se reuniram para formar o Hospital Evangélico de Curitiba. Deste encontro, nasceu a Sociedade Evangélica Beneficente de Curitiba - SEB.

Pr. - Pastor.
Pb. - Presbítero.
Rev. - Reverendo.
Sr. - Senhor.
Dr. - Doutor.



1947
Depois de constituída a SEB, ações visando a obtenção de terreno e recursos, foram lideradas pelas igrejas evangélicas, com a participação de toda a sociedade curitibana. No fim da década de 1940, com a doação de um terreno à SEB, foi realizado o lançamento da pedra fundamental do Hospital Evangélico de Curitiba.



1950
Um carinhoso registro dos 939 nomes dos  benfeitores que ajudaram  a  concretizar este sonho foi realizado através de um bordado feito pela Srª Olinta Palmquist em uma toalha, usada até hoje nas reuniões da SEB.


1959
A inauguração do Hospital Evangélico de Curitiba foi um grande acontecimento para toda a cidade, especialmente para a Sociedade Evangélica, que pode assim colocar em prática sua missão de oferecer aos menos favorecidos atendimento clínico e espiritual.




1968
Em 1968, foi fundado o Centro de Educação Profissional na área de Saúde (CEPE), para formar técnicos e auxiliares de enfermagem, suprindo a demanda de profissionais capacitados para atuarem no hospital. Como resultado da força da qualidade do ensino oferecido, nasceu em 1969 a Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná, com o objetivo de formar médicos altamente preparados para a área da saúde.


1970
Logo após o início das aulas de medicina, em 1969, constatou-se a necessidade de ampliação do hospital.
No 11.º aniversário, foi lançada a pedra fundamental do novo prédio, um bloco em forma de pentágono edificado acima da construção existente, passando de 150 para 450 o número de leitos.



2000
A faculdade passou a se chamar Faculdade Evangélica do Paraná, e começou a ofertar cursos de enfermagem, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia, Medicina Veterinária, Teologia e Tecnologia em Gestão Ambiental, além do curso de Medicina. Agrega também cursos de especialização de "latu sensu" e "stricto sensu"*.

* Latu sensu, stricto sensu: Lato sensu é uma expressão em latim que significa, literalmente, "em sentido amplo", em contraposição ao stricto sensu ("sentido estrito"). Wikipédia.

- Os cursos de especialização estão no nível de lato-sensu, com carga horária de 360 horas, e têm como objetivo especializar o profissional em disciplinas relacionadas ao seu curso de graduação, cuja escolha vai depender dos planos para a carreira profissional.

- Cursos de mestrado e doutorado estão no nível de stricto-sensu, com carga horária de 1200 horas. São direcionados para o aspecto acadêmico das áreas profissionais, e indicados para quem planeja uma carreira como pesquisador ou professor universitário.

Editado de:


2013
A SEB completa 70 anos de história e tem orgulho de ser mantenedora de um dos maiores centros de referência da saúde e da educação do Estado do Paraná.



Linha do Tempo - Sociedade Evangélica Beneficente de Curitiba - SEB




Dr. Daniel Egg
- Primeiro Diretor do Hospital Evangélico de Curitiba; 
- Fundador da Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná.


Prof. Dr. Daniel Egg
"Nasceu em Curitiba no dia 17 de março de 1918, filho de Carlos Egg e Estela Egg. Graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade do Brasil, em 1944.

Voltando a Curitiba, foi assistente de anatomia na UFPR de 1945 a 1966. Em viagem de estudos, fez estágio de cirurgia nos Estados Unidos, sendo instrutor de anatomia na Universidade da Califórnia, em 1957.

Em 5 de setembro de 1959, sendo então o primeiro diretor médico, participou do descerramento da fita inaugural do Hospital, junto com o prefeito curitibano Iberê de Matos, que inclusive foi o primeiro paciente atendido pelo Dr. Daniel, porque ao descer do carro prendeu o seu dedo na porta.

O Dr. Daniel Egg faleceu em 31 de janeiro de 1988 e, apesar de muito doente, trabalhou até o seu último dia no Hospital Evangélico."

Professor Dainel Egg MD
Texto escrito por João Carlos Simões.


Busto fica ao lado dos elevadores. Fotografei com o celular. (Em outra ocasião).



Fotografado em nove de maio de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário