quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Hollywood Dream Cars - Museu do Automóvel - Gramado - RS



Endereço: Avenida das Hortênsias, 4151 - Avenida Central, Gramado - RS.


 Ford 1958
Fairlane
A Divisão Ford neste ano superou em vedas a sua arqui concorrente 'GM' devido às belas e exclusivas linhas futurísticas deste modelo.
Modelo 500 Club Victoria.
Preço U$ 2.435,00 (preço de lançamento).
Potência: 205 hp
Motor 8 cilindros em V.

***

 Ford 1961
Galaxie Starline
Esse modelo lançado pela Ford veio equipado com motor de 6 cilindros em linha e câmbio mecânico.
Teve boa aceitação de público por suas linhas arrojadas e por sua total visibilidade.
O modelo exposto foi pouco usado e seu estofamento é original de fábrica.
Essas cores são originais da época do lançamento.


                                                                                  ***


Cadillac 1965
De Ville
Este automóvel possui o motor V-8, 325 hp e chegava a fazer 2,4 km a cada litro.
Possuía também original de fábrica: vidros elétricos, direção hidráulica, câmbio automático,
ar condicionado e também capota elétrica.

***

Chevrolet 1961
Impala Conversível 
Equipado com um motor V-8 de 170 hp. Câmbio automático, direção hidráulica, freio servo assistido, capota elétrica e parabrisa em vidro Ray Ban.

Este modelo tem baixa quilometragem, sendo que o estofamento e a capota são originais de fábrica.

***

 Ford 1959
Galaxie Victoria - Club Coupé
Esse modelo marcou época e foi o veículo premiado com medalha de ouro no Concurso de Elegância em Bruxelas, na Bélgica.
A cor desse belo automóvel é exatamente igual ao que ganhou o concurso na Bélgica e o estofamento é uma produção americana baseada no original.
Características principais: motor V-8, potência 200 hp.

***

Ford 1956
Crown Victoria
Se você deseja um desses modelos do Crown Victoria precisa dispor de muita vontade e perseverança para possuí-lo, pois este carro da Ford é um dos mais cobiçados pelos colecionadores do mundo inteiro.
O detalhe que marcou este automóvel é a cinta de aço inoxidável que contorna o teto desses modelos.
Estas cores e o estofamento são absolutamente originais ao design da época.
Em 1956, esse foi o modelo mais luxuoso lançado pela Ford Motor Company.
Características principais: potência de 200 hp, motor V-8.

***


 Cadillac 1955
Conversível
Equipado com um possante motor V-8 de 230 hp, esse belo Cadillac tem vidros elétricos, direção hidráulica e câmbio automático.
Uma característica que dá beleza a esse veículo, são suas rodas raiadas que eram opcionais na época.
A cauda foi inspirada no avião de caça Interceptador Lockheed Lightning P-38 e as lanternas são marca registrada no Rabo de Peixe.


***


Ford 1956
Victoria Conversível
Foi um dos carros mais lindos produzidos pela Ford nos anos 1950, sendo considerado um "Automóvel Clássico", que marcou sua época.
Este carro aqui exposto é modelo único existente no Brasil.
Características principais: 200 hp, motor V-8, câmbio automático.

***

Cadillac 1930
Coupé Cabriolet

Este ano é relembrado como provavelmente o mais importante de novos produtos introduzidos pela Cadillac em toda a sua história.

Antes de se encerrar o ano de 1930, a Cadillac atingiu o patamar máximo da supremacia em carros de luxo e oferecia ao público nada menos que uma linha de carros de 4 passageiros separadamente, o La Sale V-8, o Cadillac V-8, o monumental novo V-16 e o Cadillac V-12.

Mas a GM estava decidida a fabricar estes carros após o crash da Bolsa de NY em 1930, justamente um ano após a economia americana entrar em um longo período de desastrosa depressão.

O promissor modelo 1930, começou discretamente com o anúncio de modestas mudanças no modelo 353 Cadillac V-8 e a refinada série 340 La Sale.

O sensacional novo Cadillac V-16 não foi introduzido logo no começo de 1930 e, igualmente, a impressionante série Cadillac V-12 veio logo após o outono de 1931.

Estes novos super carros foram vendidos com interior em couro.

O Cadillac 1930 iniciou uma nova série 353, derivada do motor que equipava cada modelo. A segunda geração do Cadillac V-8, da série 341, entre 1928 e 1929, teve sua potência aumentada para 95 hp.

Pelo terceiro ano consecutivo o Cadillac usava chassis de 140 polegadas (3,55 m).

Este carro vinha pré-preparado para instalação de rádios Delco Remy. Os consumidores podiam escolher vários estilos de carroceria, & by Fischer e com 14 modelos customizados Fleetwood.

A linha Fischer incluía vários modelos de destaque, sendo um deles o poderoso Sedan Imperial para 7 passageiros com vidro divisório entre os bancos. Outro que merece destaque é o modelo aqui exposto, o Cadillac Coupé Cabriolet para 4 passageiros e motor V-8 de 95 hp.

O declínio da economia americana refletiu em muito na queda do volume de vendas de carros em 1930 e a Cadillac não foi exceção. Da série 353 foram produzidos apenas 11.005 exemplares, considerado baixo se comparado ao volume de 18.000 exemplares do modelo 341 vendido no ano anterior. A Cadillac também produziu ainda 3250 carros da série 452 V-16 em 1930.

***

BMW Isetta

***

 Chrysler 1953
New Yourker - Conversível
Motor Fire Power Hemi V-8, câmara hemisférica, 5,4 litros, 180 hp, transmissão semi automática de 2 velocidades, alcançando 100 km/h em 10 segundos, sendo mais rápido que o Oldsmobile 88.

A Chrysler usava seu motor Fire Power Hemi V-8  em alguns dos seus carros de corrida da época.

Esse modelo custava 3980 dólares e foram produzidas 950 unidades.

***

Cadillac 1941
Conversível De Luxe
Motor V-8, 346 polegadas cúbicas, 150 cv.
De 0 a 100 km/h em 14 segundos. Velocidade final de 160 km/h.
Muito desejado por colecionadores, por ser o último Cadillac pré guerra*.
Valor de comércio na época: 1965 dólares.
Câmbio: 3 marchas, manual, opcional.

* Pré guerra para os americanos, que entraram no conflito em 8 de dezembro de 1941, mas a II Guerra Mundial começou, para o resto do planeta, em 1º. de setembro de 1939.

***

 Lincoln 1946
Conversível
Esse carro na época fez com que seus proprietários se tornassem membros de um clube muito exclusivo, pelo seu alto preço, luxo e principalmente pelo possante motor V-12.

Foram produzidos entre coupés e conversíveis, somente 446 unidades pela Lincoln Company - uma divisão da Ford, o que faz desses carros uma raridade.

O modelo Continental significava o superlativo em estilo, luxo e excelência.

Motor V-12 e potência de 130 hp.

***

 Mercury 1951
Motor flathead V-8, 255 polegadas cúbicas.
Diâmetro do cilindro: 3,18"; curso 4,00".
Potência 112 hp.
Alimentado por um carburador Ford Holley.

***

Lincoln 1946
Continental Club Coupé
Esse carro na sua época fez com que seus possuidores se tornassem membros de um clube muito exclusivo, pelo seu alto preço, luxo e, principalmente, pelo possante motor V-12.

Foi produzido pela Lincoln Company - uma divisão da Ford.

Era o carro preferido pelo famoso gângster americano: Al Capone.

Foram produzidos entre coupés e conversíveis, somente 446 modelos neste ano, o que faz desse carro uma raridade. No Brasil existem cerca de 12 modelos.

O modelo Continental significava o superlativo em estilo, luxo e excelência.

Características principais: motor V-12, potência de 130 hp.

***

ROLLS ROYCE SILVER CLOUD I - 1961
CLÁSSICO COM PEDIGREE

O último modelo Rolls Royce a ser impulsionado por um motor V-6, o Silver Cloud I traduzia em seu espaço interior confortável e linhas elegantes, toda pompa da tradicional marca inglesa.

No começo da década de 1950, a mais famosa fábrica de automóveis britânica, a Rolls-Royce Ltd., tinha o charme, a elegância e confiabilidade. Nesta época, a empresa situada em Crewe, a 300 quilômetros de Londres, produzia o Silver Dawn (madrugada de prata) e o Silver Wraith (espectro de prata). Seus fundadores, Frederic Henry Royce e Sir Charles Stuart Rolls, já haviam falecido e não tiveram a felicidade de ver a continuidade de sua obra.

Em 1961, era lançado um novo modelo nobre: o Silver Cloud I (nuvem de prata). Era mais um autêntico Rolls, desenhado por J. P. Blatchley. Pomposo, bonito, imponente, mas com estilo muito tradicional, no princípio não emocionou muito o público. Tinha as mesmas linhas que seu futuro irmão, o Bentley S-Type. Esta empresa de destaque fora absorvida pela RR em 1931.

Com três volumes e quatro portas, pesava 2100 kg e media 5,34 metros. Suas linhas eram curvas e bem dimensionadas sendo que, visto de lado, a traseira era bem mais baixa que a frente, tendência já abandonada por muitas marcas no final da década de 1940. A carroceria era fabricada pela Mulliner, parceira tradicional da RR. E ficava mais bela ainda quando era pintada em dois tons, sendo que o superior estava acima da linhas das janelas laterais. Não incluía os pára-lamas, só capô, capota e contornos do porta-malas.

Os retrovisores para o mercado inglês ficavam no meio dos pára-lamas dianteiros e, para os externos, em posição normal. O chassi tinha vigas de aço com reforço central em "X". A sofisticada grade do radiador, com a escultura Spirit of Ecstasy "espírito do êxtase", fundida em legítima prata, no topo, era ladeada por faróis circulares. Havia dois auxiliares menores abaixo. O mascote era preso por fios de aço para intimidar os amigos do alheio.

Sob o capô, que mantinha a dupla abertura, vinha um motor de seis cilindros em linha de 4887 cm3, com cabeçote em alumínio. Como é tradição da fábrica, a potência era anunciada como "suficiente". As válvulas de admissão vinham no cabeçote e as de escapamento no bloco, a alimentação era feita por dois carburadores da marca SU e a taxa de compressão era de 6:1. A caixa automática de quatro marchas era fabricada sob licença da General Motors americana, com alavanca na coluna de direção e tração traseira.

Por dentro, era muito requintado. Acomodava com muito conforto cinco passageiros. Na época dizia-se que era o primeiro Rolls que poderia ser dirigido pelo dono. Estava mais para um saloon, como os ingleses chamavam os sedãs, que para uma limusine.

O irmão do meio da nobre família esteve na linha de montagem até 1962, ano em que o caçula e último representante do clã Silver Cloud nasceu. A produção durou até 1965. quando foi a termo a linhagem, substituída pela não menos requintada e charmosa estirpe Silver Phantom. Em comum a três versões do Silver Cloud, além do câmbio automático de quatro velocidades e o desenho de traços harmoniosos e elegantes, cujas mudanças estéticas foram marcadas pela sutileza. O interior em couro com detalhes em madeiras nobres, o amplo espaço do habitáculo, suspensão confortável e a encarnação do espírito do êxtase (a estatueta-símbolo da marca, disposta sobre o capô). Um dos slogans das campanhas publicitárias dizia "A 60 milhas por hora (cerca de 96 km/h), o barulho mais alto nesse novo Rolls Royce vem do relógio elétrico". Claro que o silêncio não era o mesmo quando o Silver Cloud alcançava a velocidade máxima de 183 km/h. Bastante para a época, levando-se em consideração que não se tratava de um esportivo, longe disso. Era um modelo de luxo, de grandes dimensões e sem grandes preocupações aerodinâmicas sobressalentes. Alguns desses exemplares chegaram ao Brasil. O Silver Cloud encarnou o espírito elegante da fidalga marca britânica.

Ford 1948

Sua capota de lona tem funcionamento através de um sistema eletro-hidráulico e funciona perfeitamente. Esse é um dos automóveis clássicos da Ford Motor Company. É considerado uma "joia rara".

Características principais: motor V-8, potência de 85 hp.

Cadillac 1959
Coupé de Ville
Nenhum carro personifica melhor a América em seu auge que o Cadillac 1959.

Ele exalava dinheiro, auto confiança e poder.

Foi o principal automóvel desse país.

Com seu possante motor V-8 de 6,3 litros, 325 cv.


Elvis Presley. Lauren Bacall,  Humphrey Bogart e Marilyn Monroe.


Esse carro não consegui fotografá-lo a contento, pois como era o único em que permitiam entrar para fazer fotos, não ficava um minuto sem ninguém. Mas não teve problema, pois o mais importante consegui fotografar. Mas para que o leitor tenha uma ideia do veículo, ver foto abaixo.



Museu do Automóvel de Curitiba:
Fotografado em vinte e seis de janeiro de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário