segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

O Curitibano César Lattes e O Prêmio Nobel Tungado

"Não há fatos, apenas interpretações".
Friedrich Nietzsche (1844-1900).

NASCE UMA ESTRELA

Nasceu em Curitiba, em 1924. Educou-se na Escola Americana, de Curitiba, e no Instituto Médio Dante Alighieri, de São Paulo. Em 1943, graduou-se na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP.

As pesquisas físicas no Brasil começaram em 1934, com a criação do departamento de Física da USP. Quando César Lattes começou sua carreira como pesquisador, os cientistas trabalhavam no porão do departamento de física e usavam equipamento montados por eles próprios.


Até há alguns anos, César Lattes era um desconhecido para mim, e não faz muito tempo é que fui descobrir que era curitibano. E a descoberta da sua importância é bem recente. E foi aí que eu percebi que esse cientista não tem nacional ou localmente o reconhecimento que merece.

Não existe outro cientista brasileiro com um currículo que se equipare ao do César Lattes. E, para sustentar essa afirmação, menciono:
- Foi indicado sete vezes ao Prêmio Nobel;
- Deixou de ganhar o Prêmio Nobel em duas ocasiões, graças à esperteza de um inglês e ao falecimento prematuro de seu parceiro de pesquisa; 
- Aproveitou o seu sucesso para desenvolver a pesquisa científica no país (antes quase inexistente), criando e dirigindo vários órgãos.

Em Curitiba, sua terra natal, só encontrei uma rua e um grêmio estudantil com o seu nome.
(Sugeri a uma vereadora daqui de Curitiba para que fosse proposto seu nome a um parque ou bosque - a ser inaugurado - mas nem sequer tive resposta ao meu e-mail).

No Paraná só encontrei um auditório e uma rua com seu nome.

Em outros estados, há homenagens a ele em forma de ruas e avenidas, bibliotecas, centros acadêmicos, etc. No entanto, senti que poderia haver por parte do governo federal uma homenagem mais consistente, como por exemplo, emitir uma cédula com sua efígie, ou um selo em sua homenagem. 


Rua César Lattes, bairro Cachoeira, Curitiba, PR.

Sua carreira científica teve início em meados dos anos 40, no então Departamento de Física da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da Universidade de São Paulo, quando publicou trabalho científico sobre a abundância de núcleos no universo, sob a orientação de Gleb Wataghin.

Logo depois de formado, Lattes começou a trabalhar em pesquisa com Wataghin, Mario Schenberg e Walter Schützer, resultando desse trabalho três artigos publicados nos Anais da Academia Brasileira de Ciências (Volume 4 (XVII), pág. 269 (1945), com Wataghin) , na Physical Review (Volume 69, pág. 237 (1946), também com Wataghin) e ainda nos Anais da Academia Brasileira de Ciências (Volume 3 (XIX), pág. 193 (1947), com Schenberg e Schutzer).


Rua César Lattes, Ribeirão Preto, SP.

FOTÓGRAFO DE PARTÍCULAS
De 1947 a 1948, Lattes começou a sua principal linha de pesquisa, o estudo dos raios cósmicos. Montou um laboratório a mais de 5.000 metros de altitude em Chacaltaya, uma montanha dos Andes, na Bolívia, empregando chapas fotográficas para registrar os raios cósmicos. Após melhorar uma nova emulsão nuclear usada por Powell, pedindo à empresa britânica Ilford para adicionar boro a ela, em 1947, realizou com a ajuda dessas chapas uma grande descoberta experimental, de uma nova partícula atômica, o méson pi (ou pion). Lates, então, começou a escrever para a Nature. Foi uma grande reviravolta na ciência. Era aceito até então que os átomos eram formados por somente 3 tipos de sub-partículas ou partículas elementares (prótons, nêutrons e elétrons). Alguns cientistas contestaram os resultados, mas o apoio do dinamarquês Niels Bohr, um dos maiores físicos da época, pesou na aceitação da novidade, que daria início a uma nova área de pesquisa, a física de partículas.
(Já que a descoberta do méson pi só foi possível graças a adição do boro às chapas fotográficas, não seria mais correto conceder à equipe também o Prêmio Nobel de Química?).
Rua César Lattes, Jardim Planalto, Goiânia, GO.

LATTES FOI UM "ACELERADOR"
DO DESENVOLVIMENTO DA CIÊNCIA
"A descoberta do méson Pi mostrou que era essa a partícula responsável por essa força de coesão dentro do átomo. Daí para a frente, houve todo um desenvolvimento em raios cósmicos, seja em máquinas aceleradoras, para buscar novas partículas ou novas caracterizações do núcleo atômico.
Hoje existe um acelerador mais potente do mundo, na Europa, que está procurando uma partícula que foi observada pelo Professor Lattes em Chacalcaya (refere-se ao LHC - grande colisor de hádrons).
(Professor da Unicamp, Edison Hiroyuki Shibuya, consultor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, de Universidade do Japão e da Bolívia, Dr. em Física,  aluno de César Lattes. Globo Ciência)
Rua César Lattes, Maringá, PR. 



DUPLA PERDA DO NOBEL
Embora tenha sido o principal pesquisador e primeiro autor do histórico artigo da Nature, descrevendo o méson pi, Cecil Powell foi o único agraciado com o Prêmio Nobel de Física em 1950, pelo seu desenvolvimento de um método fotográfico de estudo dos processos nucleares e sua descoberta que levou ao descobrimento dos mésons. A razão para esta aparente negligência é a política do Comitê do Nobel, que até 1960 era de premiar somente o líder do grupo de pesquisa. Em 2001, Lattes mencionou o fato de não ter ganho o Nobel de Física em uma entrevista para o Jornal da Unicamp:
"Sabe por que eu não ganhei o prêmio Nobel? Em Chacaltaya, quando descobrimos o méson-pi, se publicou: Lattes, Occhialini e Powell. E o Powell, malandro, pegou o prêmio Nobel pra ele. Occhialini e eu entramos pelo cano. Ele era mais conhecido, tinha o trabalho da produção de pósitrons em 1933. Depois fui para a Universidade da Califórnia, onde foi inaugurado o sincrociclotron em 1946. Já era 1948 e estava produzindo mésons desde que entrou em funcionamento em 1946, tinha energia mais que suficiente. Então, detectamos, Eugene Garden e eu, o méson artificial. Sabe por que não nos deram o Nobel? Garden estava com beriliose e morreu pouco depois; não se dá o prêmio Nobel para morto. Me tungaram duas vezes."
(Tungado: Que foi enganado por meio de artimanhas; logrado).

Em compensação, a repercussão do seu trabalho no desenvolvimento científico de toda a América Latina (sobretudo no Brasil) foi de tal ordem que a Organização dos Estados Americanos conferiu-lhe o Prêmio Bernardo Houssay de 1979.

                                                 Rua César Lattes, Maringá, PR. (Placa).



Do final da década de 1940 até a metade da década de 1950, Lattes ocupou-se com a criação e a consolidação de grupos de pesquisa em Física, quer em São Paulo, quer no Rio. Assim, foi Diretor Científico do CBPF, trabalhou na elaboração da criação do Conselho Nacional de Pesquisas e, a partir de sua instalação em 1951, foi Membro de seu Conselho Deliberativo.

Av. César Lattes, Goiânia, GO.

PESQUISANDO EM ALTO NÍVEL
"Entre 1947 y 1948, Lattes comenzó su principal línea de investigación, los estudios sobre la radiación cósmica. Así, instaló el Observatorio Astrofísico del Chacaltaya a 5.000 metros de altura, en la Cordillera de los Andes bolivianos, impregnando placas fotográficas para registrar los rayos cósmicos."
https://es.wikipedia.org/wiki/C%C3%A9sar_Lattes

Suas atividades em Chacaltaya abriram horizontes novos para a física em toda América Latina, de modo que para esses países Lattes é também considerado como figura científica de excepcional significação: recebeu o prêmio Bernardo Houssay da OEA, pelo que propiciou de desenvolvimento para os povos latino-americanos, o Título de Cidadão Boliviano do governo daquele país, a comenda Andrés Bello do governo da Venezuela e o prêmio da Academia de Ciências do Terceiro Mundo pelo conjunto de suas atividades tão efetivas na implantação da pesquisa científica nesses países.

Av. César Lattes, Miguel Pereira, RJ.

LATTES MOSTRANDO INTEGRIDADE
Em virtude de um grande escândalo de corrupção envolvendo CNPq e CBPF, Lattes desgostou-se e aceitou o convite para ser o responsável (Head) pelo Grupo de Emulsões Nucleares do “Institute for Nuclear Studies Enrico Fermi” da Universidade de Chicago, para onde partiu em junho de 1955, ficando ali até novembro de 1956. Dessa data em diante, trabalhou como Pesquisador Associado do College of Science, Literature and Arts da Universidade de Minnesota, USA, até dezembro de 1957. Nessas duas Universidades Lattes fez estudos sobre a desintegração eletrônica dos mésons pi.

Grêmio Estudantil César Lattes - GECEL - UTFPR - Curitiba

Em 1963, ajudou a fundar o Instituto de Física em Campinas. Em 1967, aceitou a posição de professor titular no novo Instituto Gleb Wataghin de Física na UNICAMP e também dirigiu o hoje Departamento de Raios Cósmicos, Cronologia, Altas Energias e Leptons do IFGW. Em 1969, juntamente com seu grupo, descobriu a massa das co-denominadas bolas de fogo, que são um fenômeno espontâneo, o qual ocorre durante colisões de altas-energias. Esse fenômeno foi detectado pela utilização de chapas de emulsão fotográfica nuclear, aquelas mesmas criadas por ele.

Aposentou-se em 1986, quando recebeu o título de Doutor Honoris Causa e Professor Emérito pela UNICAMP. Mesmo aposentado, continuou a viver em uma casa no distrito próximo ao campus da universidade. Morreu de ataque cardíaco em março de 2005.
Rua César Lattes, Atibaia, SP.


ÚNICO BRASILEIRO 
INDICADO AO PRÊMIO NOBEL

Foi Indicado 7 vezes ao Prêmio Nobel:

Nomination Database

César M G Lattes

Lastname/org: Lattes
Firstname: César
Initial: M G
Gender: M
Year, Birth: 1924
Year, Death: 2005
Nominee in 7 nominations:

Physics 1949 by Walter Hill
Physics 1949 by James Bartlett
Physics 1951 by Gleb Vassielievich Wataghin
Physics 1952 by Leopold Ruzicka
Physics 1952 by Marcel Schein
Physics 1953 by Leopold Ruzicka
Physics 1954 by Leopold Ruzicka
Visualize this on a map

Prêmio Nobel:

Rua César Lattes, Barra da Tijuca, RJ.

CONTRIBUIÇÕES DE LATTES PARA O 
BRASIL E PARA A CIÊNCIA

- As grandes descobertas de César Lattes e seu grupo foram da Inglaterra e EUA. E ele, mesmo, mesmo no auge do seu reconhecimento internacional, decidiu voltar para o Brasil. César Lattes era contra o processo chamado "fuga de cérebros", pois achava que tinha de retribuir o que aprendeu no Brasil. Por isso, ele recusou vários convites para permanecer no exterior e voltou decidido a criar novas bases para pesquisa no país. (Globo Ciência).

- Para o diretor do Instituto de Física da USP, professor Gil da Costa Marques, Lattes foi o primeiro brasileiro a fazer um trabalho científico de grande repercussão internacional, colocando o Brasil no mapa da produção científica mundial. “Através de seus estudos, Lattes mostrou que o Brasil possuía material humano competente nas áreas de pesquisa e tecnologia e condições intelectuais para desenvolver pesquisa de ponta”, observou Marques, em entrevista à Agência USP de Notícias. (Globo Ciência).

- O trabalho dele levou a criação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas - CBPF e o Conselho Nacional de Pesquisas, Universidade Estadual de Campinas. Foi professor da CBPF e UNICAMP e da Universidade Federal do Rio de Janeiro. (Globo Ciência).

Rua César Lattes, Campinas, SP.

- "Ele facilitou criar instituições fundamentais para a ciência no Brasil. Em primeiro lugar, o sucesso dele viabilizou a criação do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, privado, porque quase não existia pesquisa na universidade no Brasil, não havia laboratórios, não havia bibliotecas, não havia dedicação exclusiva do pesquisador e simultaneamente foi criado o CNPq, que foi a primeira agência do governo para financiar as pesquisas científicas. O papel do Lattes é tão importante, que o banco de currículo dos pesquisadores brasileiros se chama Plataforma Lattes. A descoberta de Bristol inaugura uma nova área de pesquisa em Física, que é a da física de partículas e talvez a principal contribuição de Lattes para a ciência foi a descoberta de 1948, que detectaram a produção dos mésons por esse acelerador, que inaugura a era dos aceleradores de partículas, que se procura hoje construir aceleradores maiores, e há uma disputa entre grupos de pesquisas, instituições e mesmo entre países para ver quem tem o maior acelerador, ou seja, quem vai conseguir mais descobertas científicas. 
(Ana Maria Ribeiro de Andrade, Doutora em História, Pesquisadora do Museu de Astronomia e Ciências Afins, do Ministério da Ciência e Tecnologia e especialista em história da Física - Globo Ciência).

- Carola Dobrigkeit Chinellato, professora do Instituto de Física da Unicamp, que fez o doutorado com ele, diz que o apuro do cientista não se limitava à física. Lattes reclamava quando via um texto mal escrito. "Dizia: 'Vá para casa e leia Graciliano Ramos. Quando aprender a usar corretamente os adjetivos você escreve de novo e me mostra'."

- Figura como um dos poucos brasileiros na Enciclopédia Biográfica de Ciência e Tecnologia de Isaac Asimov e também na Enciclopédia Britânica.


- Foi homenageado por Carlos Cachaça e Cartola, no samba enredo da Estação Primeira da Mangueira de 1947. (Globo Ciência).

Rua César Lattes, Canoas, RS.

OUTRAS HOMENAGENS A CÉSAR LATTES



- Auditório César Lattes - Parque Tecnológico Itaipu (PTI) - PARANÁ
https://www.pti.org.br/pti/estrutura/fisica;

- Grêmio Estudantil César Lattes(GECEL)- UTFPR - Curitiba - PARANÁ
https://www.facebook.com/utfprgecel;

- Escola Municipal Cesar Lattes - PARANÁ
Rua Ciro Albino de Souza, 535, Jandaia do Sul - Paraná.

http://m.tnonline.uol.com.br/noticias/regiao/32,402755,13,02,escola-municipal-oferece-aula-em-tempo-integral.shtml%20rel=

- Centro de Estudos Astronômicos César Lattes de Minas Gerais;
http://www.ceamig.org.br/1_hist/cap16.htm

- Biblioteca Central César Lattes - UNICAMP - SÃO PAULO
http://www.sbu.unicamp.br/bccl/;

- Centro de Nanociência e Nanotecnologia Cesar Lattes, Campus do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) - Campinas - SÃO PAULO
http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=brasil-ganha-centro-de-estudos-em-nanotecnologia#.WHATw9QrJkg;

Associação Atlética Acadêmica César Lattes - AAACeL - Atlética dos cursos de Física (bacharel e licenciatura) e do curso integrado em Física, Matemática e Matemática Aplicada Computacional da Unicamp - SÃO PAULO
https://www.facebook.com/AAACeL;

Diretório Acadêmico César Lattes - UFF - RIO DE JANEIRO
http://www.uff.br/?q=entidadeestudantil/diretorio-academico-cesar-lattes-dacl

Fontes:

- CÉSAR LATTES: UM DOS DESCOBRIDORES DO ENTÃO MÉSON PI
José Maria Filardo Bassalo
Depto. de Física – UFPA
Belém – PA - ago. 1990.


***
Cientista curitibano está entre os cotados para 
o Nobel de Física

Graduado em Engenharia Química pela UFPR, em 1970, Celso Grebogi descreveu uma teoria de controle de sistemas caóticos.

Gazeta do Povo:
http://www.gazetadopovo.com.br/educacao/cientista-curitibano-esta-entre-os-cotados-para-o-nobel-de-fisica-esvo9dwi7118mzmjx0o5vchg4


***

Nenhum comentário:

Postar um comentário